Te amo. Só isso. Tudo isso.
Tem gente que Deus coloca na nossa vida só pra nos dar paz. Que nos empurra pro melhor de nós, que nos guia pro caminho do bem. Gente que é sorriso em dia feio, que é suporte quando parece faltar chão. Tem gente que pensa e repensa jeitos de nos fazer bem, que se preocupa e demonstra. Gente que é abraço, mesmo de longe, e a certeza que tudo vai dar certo. Que empresta coração pra gente morar, que planta pensamentos bonitos nos dias da gente. [  / ]
lt
source
9:49am with (17 notas)
Anônimo asked : eliteluansantana pegou sua edição

mais um pra lista né? obrigada por avisar nony!

20:44pm with (141 notas)
source
19:46pm with (119 notas)
source
19:46pm with (115 notas)

eita sorriso lindo

source
18:38pm with (4.706 notas)
18:38pm with (141 notas)

Capítulo vinte e dois.

Todos aqueles momentos vividos com ela ficaria na minha memória e com certeza viraria alguma letra de música. Domingo. O dia que eu não queria que chegasse pelo fato de termos que nos despedirmos um do outro. Almoçamos juntos e eu a deixei na casa de Isabela e como prometido voltei para passar meu segundo dia de folga com minha família.

— Onde vocês foram? — perguntou Bruna sem nem me deixar fechar a porta.

— Como você sabe que saímos?

— Eu te conheço. Você não consegue ficar parado em canto algum.

— Ao parque.

— E o que fizeram tanto?

— Nem lembro. — menti preferindo deixar guardado só para nós dois.

— Ou seja… — sorriu maliciosamente.

— Ou seja, o que? — falei sem entender onde ela queria chegar.

— Vocês ficaram, isso é óbvio.

Apenas sorri tentando entender de onde ela teria tirado essa suposição e subi para meu quarto deixando-a falando sozinha na sala. Tomei um banho e deitei na cama, mas logo ideias começaram a surgir e eu peguei meu violão, um papel e o celular.

— Me conta tudo e com detalhes. — pediu.

— Não teve nada demais. Tudo ocorreu normalmente.

— Ele é seu ídolo! Nosso ídolo. Não tem como ter sido normal. — falou abismada.

— Mas foi. Ficamos em cada depois fomos ao parque e depois acabou.

— Foram ao parque? Enlouqueceram?

— Fomos a noite. E ele foi com seu disfarce. — fiz aspas no ar, pois sabemos que aquilo nunca poderia ser chamado de disfarce.

— E?

— E fizemos um piquenique.

— A noite?

— Falei a mesma coisa para ele. — ri.

— Não vai ficar chateada se eu te fizer uma pergunta? — falou depois de muito pensar.

— Pode falar.

— Vocês se conheceram no aeroporto, certo? — apenas assenti e ela continuou. — Você sabe que ele pediu seu número pra ficar contigo não sabe? — perguntou com receio e eu sabia que sim. Sem falar nada apenas assenti novamente. — E aquela história de não ficar com qualquer um, não se entregar?

— Eu dei meu número ciente de tudo isso que você falou, mas como você mesma citou eu não me entregaria para ele. Ele pediu meu número e eu dei se ele tentasse algo eu cortaria, mas não ele foi totalmente ao contrario ligou apenas para falar comigo e ponto. Ou deve ter mudado de ideia ou deve estar tentando ainda.

— E se ele tiver escolhido a segunda opção?

— O tempo dirá o que é melhor, mas garanto que se ele me pedisse hoje eu negaria. 

Desci para o café da manhã, onde a minha família já me esperava. 
— Você vai me contar tudo Luan. — comentou minha irmã assim que eu entrei na cozinha. 
— Você está muito curiosa.  Bom dia mãe. – sorri, dando um beijo em seu rosto. 
— Bom dia, querido. – sorriu
Tomei meu café rapidamente e fui para o trabalho. Hoje o dia seria intenso, não que os outros não fossem, mas especificamente hoje eu teria que trabalhar na nova campanha da rádio de São Paulo e dois programas seriam gravados tomando o meu dia inteiro e assim cancelando a minha reunião com o Dudu para um novo projeto que faríamos.

— Bom dia, Miranda. – cumprimentei a diretora da novela. Muito simpática, por sinal. 
— Bom dia, Luan. Já estão nos esperando no estúdio. – me informou. 

Depois de várias tomadas, ajustes e horas de gravação. Corri contra o tempo para a última gravação do meu dia que seria na rádio. As dez e trinta e cinco da noite conclui todo o trabalho daquele dia e pude voltar para minha casa. Que saudade que estava dela. Cheguei em casa e fui direto para o banheiro tomar meu banho, para depois comer alguma coisa, afinal eu só estava com o almoço no estômago. Minha mãe já dormia, já que eram mais de dez da noite. Subi para o meu quarto fazendo o máximo de silêncio possível para não acordar a minha mãe, já que ela tinha um sono extremamente leve. Entrei no meu quarto sem nem ao menos acender a luz e me joguei na minha amada cama, foi quando notei que não havia falado com Laís hoje. Peguei meu celular para olhar a hora e vi que uma mensagem pendente havia ali.

 “Não importa se eu estou aqui, lá, acolá, do seu lado ou do outro lado do mundo. Eu sempre vou estar contigo.”

Não tinha como não sorrir com aquilo. Sem dúvidas ela sabia como mexer comigo. Preferi não ligar já que apesar de saber que ela poderia estar acordada lembrei do tcc que tanto lhe atormentava e da festa que ela ainda poderia estar.

Olhei minhas redes sociais e vi uma foto postada por ela. Ela estava deslumbrante. Meus olhos não conseguiam se desprender do visor.

Não me lembro o que pensei pela última vez, só lembro de ter dormido vendo aquela mulher fabulosa que estava digamos longe de mim naquele momento, mas como ela mesma disse na pequena mensagem sempre comigo. 

sempreporluan:

xx

15:48pm with (148 notas)
15:48pm with (78 notas)